Fiesp prevê estabilidade no desempenho da indústria

O diretor do Departamento de Pesquisas Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Francini, estimou hoje que o Indicador do Nível de Atividade (INA) da indústria paulista deverá manter estabilidade em março, após o desempenho positivo de 1,9% de fevereiro ante janeiro, com ajuste sazonal (efeitos temporais), que ele qualificou como "estável"."Seria uma grande surpresa se março tivesse uma queda ou uma alta muito diferente da que verificamos nos últimos meses. Desde agosto do ano passado, temos manutenção sobre um certo nível de atividade, ou seja, estamos em um platô, em uma plataforma", comentou.Ele afirmou que o desempenho do INA não surpreendeu os técnicos da Fiesp, e para ele, o comportamento da atividade industrial deve se manter estável se o Banco Central (BC) não promover novas altas na Selic, a taxa básica de juros da economia. "Tomara que o BC mantenha os juros e não fique excitado com esse IGP-M horroroso", observou, referindo-se à alta de 0,85% do IGP-M apurada pelo IBGE em março ante fevereiro.De acordo com o diretor do Departamento de Economia do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Boris Tabacof, os empresários paulistas têm "alguma preocupação" com o comportamento da economia no encerramento desse primeiro trimestre de 2005. "Gostaríamos de sentir maior dinamização da economia", explicou.Francini, da Fiesp, aproveitou para relativizar o crescimento do INA de 9,2%, sem ajuste sazonal, na comparação entre os meses de fevereiro de 2005 e 2004. "No ano passado, tivemos um fevereiro mais pobre e, por isso, houve esse valor mais acentuado do INA. Insistimos que desde agosto do ano passado, a atividade industrial está na mesma situação, para o bem ou para o mal", reiterou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.