Fiesp reprova redução na taxa básica de juros

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, criticou hoje a redução de apenas 0,75 ponto porcentual na taxa básica de juros determinada pelo Comitê de Política Monetária (Copom). "Mais uma vez, o Copom reafirma, de maneira magnânima, sua total independência", afirmou.Segundo Skaf, Banco Central, está alheio à opinião dominante do governo e não se preocupa com a "ridícula taxa de crescimento que o Brasil apresenta".Além disso, de acordo com Skaf, o BC não compartilha do pensamento da maioria dos economistas, despreza as considerações críticas do setor produtivo e sente-se livre dos princípios que regem a lógica."Verdade é que torna-se difícil classificar esta atitude: será independência ou soberba?", indagou o presidente da Fiesp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.