Fiesp revisa produção industrial física de 2007 para cima

A alta de 2,8% da produção industrial em outubro em relação a setembro, divulgada hoje pelo IBGE, levou a Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) a revisar de 5,3% para entre 5,5% e 5,9% sua projeção de crescimento da produção física em 2007. "Outubro é o pico de produção industrial, mas novembro e dezembro devem manter viés positivo", disse o gerente do Departamento Pesquisas Econômicas da Fiesp, economista André Rebelo.O incremento de 2,7% no Indicador do Nível de Atividade (INA) da indústria paulista, divulgado na semana passada, já havia surpreendido a entidade pelo vigor da variação. "Os dados do IBGE confirmam que a produção entrou em um patamar mais alto de crescimento, e 5,5% no ano deve ser piso", reforçou Rebelo.O economista da Fiesp destacou, porém, que a produção de bens de capital (26,8% ante outubro de 2006) e do consumo aparente de máquinas e equipamentos mostram que a indústria está investindo forte para aumentar a produção e atender à demanda. "Não há pressão sobre os preços industriais", observou Rebelo, citando os números da FGV.A pesquisa mostra que os preços dos produtos agrícolas no atacado acumulam alta de 19,71% no ano até novembro, e registram elevação de 18,92% em 12 meses até novembro. Já os preços dos produtos industriais registram aumentos acumulados de 3,38% no ano e de 3,76% em 12 meses até novembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.