Fila de navios para açúcar no Brasil diminui; greve não impacta

O número de navios à espera para embarcar açúcar no Brasil caiu para 73 ante os 80 na semana anterior, e uma série de greves não afetou o movimento em meio à colheita da safra 2012/13, disse a agência marítima Williams nesta quinta-feira.

Reuters

16 de agosto de 2012 | 14h58

A produção de açúcar na região centro-sul saltou em julho, permitindo que as usinas compensem o tempo perdido por conta dos meses chuvosos de maio e junho. Ainda assim, os navios têm sido capazes de transportar o aumento da produção do Brasil graças ao tempo bom.

A greve de um mês dos fiscais sanitários teve pouco impacto visível sobre as embarcações, e fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura voltaram ao trabalho esta semana, após uma ordem judicial.

"A greve não chegou ao ponto de afetar o movimento do porto", disse Bruno Goes, do departamento de lineup da Williams.

O Brasil, que exporta cerca de metade do açúcar do mundo, deve colher uma safra maior que a do ano passado devido à melhor produtividade e ao aumento do plantio de cana.

Em Santos, principal porto brasileiro para as exportações de açúcar, a fila de embarcações caiu para 45 ante 48 navios na semana passada, de acordo com o relatório semanal da Williams.

Já o lineup em Paranaguá, segundo maior porto de açúcar, foi para 27, ante 31 embarcações anteriormente.

(Reportagem de Caroline Stauffer)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSLINEUPBRASIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.