Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Filial da Repsol suspende produção de campo ocupado por indígenas

A petrolífera Andina, filial da Repsol YPF, suspendeu as operações em um dos campos que opera no leste da Bolívia por causa da ocupação realizada por cerca de 50 camponeses nestas instalações, informou a empresa em comunicado divulgado nesta sexta-feira pela imprensa local. A empresa afirmou que os agricultores da localidade de San Juan de Yapacaní bloqueiam desde quinta a entrada e saída do campo Víbora, que fica no departamento de Santa Cruz (leste), para apresentarem exigências para outras empresas de serviços petroleiros da região, nenhuma das quais do Grupo Repsol-YPF.Os camponeses reivindicam a estas empresas a construção de uma escola, de casas e a doação de material didático.O campo Víbora tem uma capacidade de produção, por dia, de 53 milhões de metros cúbicos de gás, de 400 barris de gasolina natural e de 750 barris de petróleo condensado.A filial da Repsol YPF comunicou à estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) que não pode cumprir as obrigações de um contrato assinado com a entidade "especialmente para manter a operação normal e segura da usina Víbora"."Diante da intransigência dos manifestantes, funcionários da Andina ativaram o plano de contingências, que incluiu a greve e a interrupção do serviço das instalações de produção", afirmou o comunicado.A medida de prevenção foi tomada para evitar que a "falta de segurança pudesse causar danos às pessoas e prejuízos ao meio ambiente", declarou.

Agencia Estado,

15 de setembro de 2006 | 16h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.