Filtro para afastar especulador pode se tornar padrão

Para especialistas, mecanismo usado pela Bovespa deve ser adotado em futuras aberturas de capital

Leandro Modé, O Estadao de S.Paulo

27 de outubro de 2007 | 00h00

Um novo mecanismo adotado pela Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) para afastar especuladores do primeiro dia de negócios com suas ações pode, segundo especialistas, tornar-se padrão daqui para frente no mercado de capitais brasileiro. Trata-se de um filtro que evitou que um determinado tipo de investidor (conhecido como flipper) pudesse comprar papéis da Bovespa Holding antes de sua estréia no pregão. A medida causou controvérsia.O flipper reserva ações de empresas que debutarão em bolsa de valores e as vende já no primeiro dia de negociações com o papel. Como, em geral, a procura por novas ações é grande, esse investidor tende a obter lucro com a operação. No entanto, do ponto de vista das empresas, a transação pode ser danosa, pois a venda de papéis pressiona a cotação para baixo.''''É um tipo de especulação que, pelo momento no qual ocorre, não é saudável'''', afirmou Edson Garcia, superintendente da Associação de Investidores no Mercado de Capitais (Amec). ''''Esse comportamento pode prejudicar a própria credibilidade do mercado, pois pode dar a sensação de que alguns investidores se beneficiaram com informações privilegiadas'''', disse Carlos Antônio Rocca, professor da USP e sócio-diretor da Risk Office.A Bovespa tomou por base as aberturas de capital (conhecidas pela sigla em inglês IPO) realizadas pela General Shopping Brasil, pela Cosan Limited, pela Satipel Industrial e pela Sul América, entre agosto e outubro deste ano. Os investidores que reservaram ações e venderam 20% ou mais dos papéis logo no primeiro pregão foram impedidos de participar do IPO da Bovespa Holding. ''''Estabelecer essa regra é um direito de quem abre o capital'''', observou Theo Rodrigues, diretor-executivo do Instituto Nacional de Investidores (INI).Para Rocca e Garcia, outras empresas que fizerem IPOs daqui para frente poderão seguir o caminho da Bovespa. O superintendente da Amec lembra que os próprios bancos que coordenam processos de abertura de capital já haviam criado um antídoto para impedir uma oscilação indesejável de suas ações no primeiro pregão - eles costumam manter em carteira um bom número de ações para evitar um forte recuo da cotação.A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) disse que a decisão da Bovespa de excluir os flippers não fere a regulamentação do mercado de capitais. A autarquia disse ainda ter recebido 10 pedidos de esclarecimentos sobre o IPO da Bovespa. O conteúdo desses pedidos não foi revelado pela comissão, que vai analisar cada caso. COLABOROU NILSON BRANDÃO JUNIOR

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.