Filtro solar: proteção contra o câncer

A valorização do corpo bronzeado leva milhares de pessoas a arriscarem a saúde em busca da beleza. A exposição excessiva da pele ao sol pode provocar uma série de doenças graves, como o câncer de pele. A grande arma contra os raios solares é o filtro solar. O filtro solar é um medicamento que contêm substâncias capazes de proteger a pele da ação nociva dos raios ultravioleta na pele. A situação geográfica do Brasil, com grande incidência dos raios solares ao longo do ano, aumentou a preocupação dos dermatologistas com a proteção da pele e, conseqüentemente, a procura pelos filtros solares. A dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e de Cirurgia Dermatológica, Maria de Fátima Fernandes, explica que o filtro solar é vital para evitar o fotoenvelhecimento e o câncer de pele. O fotoenvelhecimento é provocado pela acumulo de queimaduras na pele por exposição ao sol. Além disso, o sol pode provocar uma série de mudanças na pele como manchas, pintas e rugas. A dermatologista ressalta que o filtro solar deve ser utilizado diariamente, principalmente no verão. "A proteção contra os raios solares deve ser constante e não apenas quando se vai à praia ou ao clube", explica. A exposição ao sol no dia a dia, principalmente no rosto, orelhas, boca e braços, é responsável por um alto índice de doenças na pele. Qual o filtro solar ideal?A principal dúvida das pessoas é qual filtro solar é o ideal para a pele de cada indivíduo. Existe uma variedade enorme de produtos disponíveis no mercado, dificultando a escolha do consumidor. Maria de Fátima considera que o filtro solar ideal é aquele que não deixa a pele do usuário vermelha, ou seja, que não deixa aquela sensação de queimadura no corpo. Ela explica que as pessoas com peles mais claras devem utilizar filtros com o Fator de Proteção Solar (FPS) mais elevados.O FPS é um índice que multiplica o tempo pelo qual a pele pode ficar exposta ao sol sem ficar avermelhada. Assim, se uma pessoa leva dois minutos para ficar com a pele avermelhada, um filtro solar com FPS 15 protege a pele durante 30 minutos. "O fator de proteção depende da sensibilidade da pele. Quanto mais clara for a pele da pessoa, maior deve ser o número do FPS", explica a dermatologista.Para as peles mais claras que dificilmente se bronzeiam, o ideal são os filtros com FPS 20 ou mais. Os filtros devem ser aplicados pelo menos 30 minutos antes de se sair ao sol, com a pele seca. Mas usar filtros potentes não significa proteção para o dia todo. "Os filtros devem ser reaplicados a cada duas horas", avisa Maria de Fátima. Para quem vai à praia ou à piscina, o filtro deve ser reaplicado após sair da água. Não existe filtro que proteja a pele 100% do solA dermatologista alerta que não existe nenhum filtro solar que proteja a pele 100% dos raios solares. "Esses laboratórios que falam que os filtros protegem a pele totalmente dos raios ultravioleta estão mentindo. Não existe substância alguma que tenha o poder de proteger totalmente a pele dos efeitos do sol", explica. Ela lembra que o sol é essencial à saúde e que as pessoas não devem se esconder do sol para proteger a pele, apenas devem tomar cuidado com a exposição excessiva. Ela diz que o ideal é fugir do sol entre às 10h e 15h, pois neste período os raios ultravioleta agridem a pele com maior intensidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.