Fim da greve nos Correios é aprovado em 21 sindicatos

Expectativa da Federação dos Trabalhadores é de que todos os grevistas aceitem proposta da ECT

Giuliana Vallone, do estadao.com.br, e Gerusa Marques, da Agência Estado,

21 de julho de 2008 | 17h45

Os trabalhadores dos Correios de 21 sindicatos em todo o País já decidiram, em assembléias nesta segunda-feira, 21, aceitar o acordo firmado com a empresa e encerrar a greve. Quinze Estados, o Distrito Federal e o interior de São Paulo vão retomar os serviços. Este quorum, segundo o estatuto da Federação Nacional dos Trabalhadores em Correios (Fentect), é suficiente para oficializar o fim da paralisação, iniciada no dia 1º.   Outros Estados e a cidade de São Paulo realizam ainda nesta segunda assembléias para votar a proposta fechada no sábado entre a Fentect, a diretoria da empresa e o ministro das Comunicações, Hélio Costa. "Os sindicatos estão orientados pela Federação a aprovar o acordo. O pessoal já volta ao trabalho amanhã mesmo", disse o secretário-geral da Fentect, Manoel Cantoara. O sindicalista calcula que em um prazo de, no máximo, 14 dias, o fluxo de entrega das correspondências já estará normalizado.   A Federação já apresentou ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), esta tarde, o acordo negociado no sábado. O acerto estabelece o pagamento definitivo de abono de 30% para 43 mil carteiros da distribuição e coleta externa, um abono de R$ 260,00 mensais para outros 16 mil funcionários e a suspensão do desconto dos dias parados, que serão compensados com banco de horas de trabalho.   A previsão do ministro Hélio Costa é de que em dez dias todas as entregas estejam normalizadas. Até sexta-feira, 130 milhões de correspondências não haviam chegado aos seus destinatários.

Mais conteúdo sobre:
GreveCorreios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.