Fim da isenção do IPI provoca falta de carros

O movimento nos feirões das montadoras e nas lojas no fim de semana foi acima do previsto. O grande volume de negócios foi motivado por consumidores que quiseram aproveitar o último fim de semana com a isenção completa do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a compra de carros novos. O benefício do IPI zero termina amanhã, segundo portaria publicada no Diário Oficial da União. Até dezembro o imposto sobe um pouco mês a mês, até voltar ao normal em janeiro.

AE, Agencia Estado

29 de setembro de 2009 | 09h13

A correria, em alguns casos, superou a previsão das montadoras e das concessionárias. Uma das consequências de vendas acima do previsto é que, dependendo do modelo escolhido, o consumidor corre o risco de não encontrá-lo para pronta entrega e a espera pode chegar a três meses. Se isso acontecer, o comprador perde os descontos do IPI.

Na rede de lojas do Grupo Amazonas, em São Paulo (com seis unidades da Fiat e duas da Volks), o fim de semana rendeu o fechamento de 375 contratos para a venda de modelos novos e 120 para usados. Atualmente há 180 carros novos da Fiat no pátio da Amazonas. "Quem demorar e dependendo do modelo que quiser pode não pegar o desconto do IPI por falta de produto", diz Richard Marques, gerente de vendas da empresa. Na rede de concessionárias da Fiat o maior problema é com o modelo Strada cabine dupla, lançado recentemente pela montadora. A espera, segundo Marques, é de até 90 dias. Quem comprar o modelo da Fiat provavelmente não verá a cor do desconto do IPI. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
carrosIPIvendas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.