Fim do acordo do IPI trará reajustes, avisa Anfavea

O consumidor deve esperar um aumento no preço dos veículos a partir de dezembro, avisou hoje o vice-presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Pérsio Luiz Pastre. Segundo ele, o governo federal não deverá prorrogar o acordo de redução de 3% no Imposto sobre Produtos Importados (IPI) que incide sobre os veículos, anunciado em agosto e que vai durar até dia próximo 30.Além disso, as montadoras deverão repassar o aumento de custo gerado pela reposição salarial dos metalúrgicos, que estão debatendo o dissídio coletivo este mês. "O setor vai repassar esse aumento, pois está com rentabilidade negativa", disse Pastre, sem detalhar a porcentagem do reajuste.Mesmo com a previsão de aumento dos preços, a Anfavea se mantém otimista em relação à recuperação do mercado e da produção. Isso porque os indicadores macroeconômicos estão mais favoráveis do que no primeiro semestre. De acordo com Pastre, a recuperação das vendas dos setores de bens de capital e de embalagens demonstra que há uma tendência positiva, que tende a se refletir no setor automotivo também.ExportaçõesCom relação às exportações, a Anfavea acredita que poderá superar a marca de US$ 5,1 bilhões em vendas externas, número 27,5% maior do que 2002. Ele ressalva que a indústria automotiva brasileira precisa efetivamente das vendas no mercado interno para justificar os investimentos feitos nos últimos cinco anos. "A capacidade ociosa ainda é grande. Precisamos que uma parcela maior da população brasileira tenha acesso ao automóvel", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.