Financiamento do BNDES à Embraer preocupa Carlos Lessa

O presidente do BNDES Carlos Lessa manifestou hoje preocupação em relação ao volume de recursos de financiamento do banco para a Embraer. Em seminário na Federação das indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Lessa falou sobre o BNDES para empresários noruegueses e, ao falar dos US$ 5 bilhões em recursos do banco voltados para o financiamento de aviões, disse: "Me preocupo, é muito dinheiro colocado em avião". Em entrevista em seguida, Lessa admitiu que esta é a uma situação difícil de ser resolvida em curto prazo. "A solução só pode vir a longo prazo, porque os aviões são financiados em prazos de 14 anos", disse. Lessa explicou que em curto prazo o banco está tomando algumas providências em relação ao assunto. As principais são o estímulo para que a Embraer possa procurar outros financiadores; o estímulo ao aumento no grau de substituição de importações para componentes dos aviões, para redução de custos, e, ainda, buscar formas de garantia mais seguras para os financiamentos. Lessa disse que, no que diz respeito às garantias, o banco já conseguiu alguns avanços que serão posteriormente revelados. Nesta semana o BNDES anunciou novo financiamento de US$ 770 milhões para a Embraer. Lessa participou do seminário sobre investimentos no Brasil para empresários e representantes do governo da Noruega.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.