Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Financiamento do BNDES para caminhoneiro autônomo investir em manutenção tem juro de 12% ao ano

Crédito, já disponível, é parte de pacote do governo federal para evitar paralisações como a de maio de 2018; cada caminhoneiro poderá fazer empréstimos de até R$ 30 mil

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2019 | 19h34

RIO - Caminhoneiros autônomos de todo o País já podem recorrer ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para pedir empréstimos na linha BNDES Crédito Caminhoneiro, voltada para financiar custos de manutenção, que foi anunciada em abril como parte do conjunto de medidas do governo federal para evitar paralisações semelhantes às ocorridas em maio do ano passado. A linha de crédito está disponível desde o último dia 27.

Os empréstimos da nova linha terão juros, em média, de 12% ao ano, conforme estimativa disponível no site do BNDES. Poderão recorrer ao crédito caminhoneiros autônomos e cooperativas de transporte.

Como já havia sido anunciado em abril, os empréstimos não poderão passar de R$ 30 mil por cliente - ou R$ 30 mil multiplicado pelo número de integrantes das cooperativas.

As operações da nova linha de crédito serão indiretas, ou seja, repassadas por bancos comerciais que operem com o BNDES - esses bancos ficam responsáveis pela aprovação do financiamento e pela exigência de garantias.

A taxa de juro final é formada pelo "custo" financeiro - que pode ser a Taxa Fixa do BNDES (TFB), a Taxa de Longo Prazo (TLP) ou a taxa básica Selic (hoje em 6,5% ao ano) - mais uma taxa de administração do BNDES, de 1,45%, somada à taxa cobrada pelo agente repassador.

Na estimativa disponibilizada pelo próprio BNDES em seu site, o custo financeiro fica em 7,0% ao ano e a taxa média do agente é de 3,0% ao ano - daí a estimativa final de 11,86% ao ano.

Além do juro de cerca de 12% ao ano, os empréstimos terão prazo máximo de dois anos e seis meses, com carência de no mínimo três e, no máximo, seis meses.

Conforme circular divulgada pela Área de Operações e Canais Digitais do BNDES para os agentes repassadores, a BNDES Crédito Caminhoneiro terá vigência de um ano, até 26 de maio de 2020.

No mês passado, pouco antes do lançamento da linha de crédito, o presidente do BNDES, Joaquim Levy, afirmou que o orçamento inicial do programa seria de R$ 500 milhões, como anunciado em abril, mas poderia chegar a R$ 1 bilhão, se houver demanda para tanto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.