Finasa sugere dez ações para o longo prazo

A Finasa Corretora realizou um estudo especial para compor uma carteira de ações destinada a investidores de longo prazo. O trabalho, intitulado Melhores Idéias 2000, selecionou dez empresas para clientes com esse perfil. De acordo com o diretor de Operações da Finasa, Alexander Ian Carpenter, o objetivo foi elaborar um uma carteira de ações que não demandasse intenso acompanhamento do mercado. Os papéis escolhidos foram Gerdau, Vale do Rio Doce, Petrobras, Fosfértil, Copel, Sabesp, Tele Centro Sul, Tele Celular Sul e AmBev. Como a escolha foi feita no começo do ano, Telesp era um dos destaques, mas foi retirada com a oferta de troca por Brazilian Depositary Receipts (BDRs) da Telefónica.Para fazer a seleção, os analistas do Finasa levaram em conta a visão estratégica das empresas, a posição no mercado e a geração de caixa. Outro cuidado foi diversificar a carteira, mesclando companhias com grande potencial de crescimento e histórico de altos valores pagos em dividendos - renda atribuída às ações de uma empresa.. Vale e Fosfértil: perspectivas de ganho Entre as recomendações, o analista Rodrigo Campos destacou Vale do Rio Doce e Fosfértil. Ele acha que as ações da Vale estão desvalorizadas. O analista estabeleceu R$ 76,50 como preço-alvo - o quanto a ação vale realmente - para os papéis. Essa quantia apresenta um potencial de valorização de 57,18%, em relação ao fechamento de sexta-feira.Além da Vale, Campos chama atenção para a Fosfértil. Segundo ele, o papel também terá sua liquidez - facilidade de negociação - ampliada, surpreendendo o mercado. Pelo estudo, o preço-alvo da ação é de R$ 11,50. A projeção de retorno é de 128,62%, frente ao último pregão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.