Fipe: álcool puxa IPC de novembro em Ribeirão Preto

Com alta de 10,99% e contribuição de 0,15 ponto porcentual, o álcool combustível liderou entre as maiores altas no Índice de Preços ao Consumidor, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), em Ribeirão Preto (SP), que ficou em 0,49% em novembro. Com o aumento, a inflação acumulada na cidade paulista no ano chega a 4,04% e, no acumulado dos últimos 12 meses, atinge 4,66%. O grupo transporte, no qual o álcool está incluído, foi o que mais contribuiu positivamente, com 0,24 ponto porcentual na formação do IPC.Caso não recue nos postos da cidade paulista até o final do mês, o que é improvável, o álcool combustível deve voltar ao topo das maiores altas do IPC-Fipe de dezembro, a ser divulgado em janeiro de 2008. O combustível foi reajustado, em média, em 6,9% nos postos de Ribeirão Preto, no último dia 6 de dezembro.AlimentosAlém do álcool, alimentos como batata (alta de 32,39%), alface (55,32%), feijão (12,06%) e carnes também foram destacados pela Fipe como os "vilões" da alta no IPC de novembro em Ribeirão Preto. No entanto, o grupo alimentação não liderou entre os que apresentaram maiores altas porque outros itens apresentaram quedas bruscas de preços. O leite, por exemplo, com queda de 3,75% no mês, foi o que apresentou maior contribuição negativa para a redução no IPC, com 0,13 ponto porcentual. Os preços da manga (queda de 41,75%), tomate (-12,13%), arroz (-3,07%), uva (-8,27%) e mamão (-10,94%) também seguraram a alta no preço o consumidor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.