Fipe: alta do IPC não reflete elevação do dólar

A elevação de 0,51% do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) em março ainda não reflete a alta do dólar, voltou a afirmar hoje o coordenador da pesquisa de preços da Fundação de Pesquisas Econômicas (Fipe), Heron do Carmo. Segundo ele, o fator de maior pressão sobre o índice veio dos alimentos e de produtos que estão passando por um efeito típico desta época do ano. Prova disso, afirma Heron, são os alimentos industrializados, que fecharam o mês de março em queda de 0,08%. "Os alimentos industrializados são os primeiros que refletem o repasse de uma variação cambial", disse o economista da Fipe. Os alimentos industrializados que sofreram as maiores reduções de preços em março foram: açúcar (3,27%), lingüiça (3,11%), café em pó (1,61%) e refrigerante (1,55%).

Agencia Estado,

04 de abril de 2001 | 15h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.