Fipe eleva previsão de inflação de fevereiro de 1% para 1,5%

O coordenador da Pesquisa de Preços da Fipe, Heron do Carmo, elevou a sua previsão de inflação de fevereiro de 1% para 1,5%. Segundo ele, essa revisão deve-se basicamente ao comportamento dos preços de hortifrutigranjeiros e vestuário. De acordo com Heron, alguns produtos desse segmento como alface, abobrinha e tomate, entre outros, têm apresentado taxas elevadas na ponta, variando de 8,5% a 30%, no caso do tomate, na comparação da terceira semana de fevereiro com a mesma de janeiro. Esses preços contribuíram para que o subgrupo in natura se elevasse de um patamar de alta de 5,17% na segunda quadrissemana de fevereiro para 7,65% na terceira quadrissemana. "Esse aumento na ponta acabará afetando o resultado do mês", afirma. O grupo vestuário chegou a surpreender o economista ao fechar a terceira quadrissemana com alta de 0,62%, ante 0,42% na medição anterior. "Eu esperava que nesse período os artigos de vestuário tivessem queda por causa das liquidações, mas as roupas masculinas subiram de 0,61% para 1,6%." Queda A inflação prevista para fevereiro, mesmo podendo fechar acima do esperado por Heron do Carmo, ficará bem abaixo dos 2,19% registrados em janeiro. A partir de março a inflação deverá recuar ainda mais, ficando abaixo de 1%, segundo o coordenador. "O cenário só será alterado se houver novos aumentos dos combustíveis", disse o economista, uma vez que no mês que vem a inflação estará livre das pressões sazonais e não contará com novos reajustes de preços administrados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.