Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Fipe eleva previsão de inflação para setembro

Mesmo com a alta de 0,91% na média dos preços ao consumidor na Cidade de São Paulo, na primeira quadrissemana de setembro, acima das expectativas dos analistas de mercado, o coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Heron do Carmo, manteve sua projeção para uma taxa de 7% no fechamento do ano. Ele elevou, no entanto, a sua previsão para o mês de 0,40% para 0,60%. "O problema é que temos notícia de outros aumentos que devem começar a impactar o índice no decorrer do mês, como o táxi e água-esgoto", disse Heron, ressaltando que, se por um lado o IPC será aliviado, de outro começa a receber novas pressões. Ainda assim, ele manteve sua previsão para o ano, alegando que as mudanças são pontuais e que não devem alterar o cenário num prazo mais extenso. A previsão do economista da Fipe para setembro, de 0,60%, resulta da soma das variações dos preços de mercado, representado pelo núcleo do IPC, em torno de 0,30% e da variação projetada para as tarifas, também de 0,30%. "Tirando os grupos habitação, transportes e saúde, formado por preços administrados ou monitorados, os demais - que dependem de demanda --, como alimentação, vestuário e despesas pessoais, estão bastante tranqüilos, disse Heron. Impacto das tarifasHeron trabalha com um cenário de menor pressão de tarifas públicas sobre o IPC no decorrer de setembro. A tarifa de energia elétrica, que na primeira prévia do índice, subiu 9,16%, deverá fechar o mês com uma alta de 3%. Já a tarifa de telefonia fixa, que encerrou a primeira quadrissemana com um aumento de 13,5%, deverá chegar zerada ao final do mês. Para Heron, mesmo que a Justiça decida por manter o IGP-DI como indexador da telefonia fixa, o grosso da diferença entre IPCA, atual índice de correção, ficará para outubro. Na contramão da luz e do telefone, o IPC-Fipe de setembro passará a captar, a partir da terceira quadrissemana, uma alta de 4,7%, vinda da conta de água e esgoto. Esse aumento da água deve exercer, no IPC, a pressão de 0,10 ponto porcentual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.