finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Fipe estuda modelo de participação nos lucros com ação

A Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (Fipe) da USP está elaborando um estudo sobre a possibilidade de as empresas efetuarem o pagamento de participação de lucros e resultados (PLR) aos funcionários com ações. O estudo, segundo o coordenador-executivo do Plano Diretor do Mercado de Capitais, Thomas Tosta de Sá, está sendo feito a pedido da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e deve ser concluído até o fim do ano. "As entidades sindicais têm mostrado interesse nessa forma de pagamento da participação nos lucros", disse Tosta de Sá. A consolidação dessa modalidade de pagamento do PLR não forçaria o governo a elaborar legislação específica, já que, segundo Tosta de Sá, a lei atual que rege o pagamento desse tipo de bonificação não traz nenhum impeditivo ao pagamento do PLR sob a forma de ações.A idéia em discussão permitirá, no futuro, uma maior pulverização das ações de empresas brasileiras e facilitaria a formação de poupança de maior longo prazo. O pagamento do PLR poderá ser feito, segundo Tosta de Sá, sob várias formas. "O pagamento pode ser por meio de fundos de investimento, clubes, distribuição individualizada de ações da própria empresa para seus funcionários. Um leque de opções será apresentado", salientou. Sá disse ainda que não há nenhum impedimento legal para o pagamento de parte do PLR em ações e outra em dinheiro, como é feito hoje pelas empresas. A participação nos lucros e resultados nas empresas representa hoje cerca de 10% do salário anual de funcionário s de companhias que adotam esse tipo de política, segundo Tosta de Sá.

Agencia Estado,

09 de setembro de 2003 | 16h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.