Fipe: feijão tem a maior alta desde 1999 em São Paulo

O preço do feijão apresentou a alta expressiva de 30,45% na segunda quadrissemana de dezembro (últimos 30 dias encerrados em 15/12), conforme levantamento realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), por meio do Índice de Preços ao Consumidor (IPC). A variação superou a de 23,38% da primeira quadrissemana do mês (30 dias terminados em 7/12) e representou a elevação mais significativa na capital paulista desde o final de outubro de 1999, quando o preço do produto avançou 31,95%.De acordo com o Fipe, a alta do feijão, motivada por um período de seca em algumas regiões do País, respondeu por 0,13 ponto porcentual do IPC paulistano, que variou 0,84% na segunda quadrissemana de dezembro. No levantamento anterior, havia representado 0,10 ponto porcentual de uma taxa de inflação de 0,71%. O comportamento do produto também foi o principal fator responsável pelo grupo Alimentação ter apresentado uma variação de 2,37%, a mais expressiva desde a segunda quadrissemana de janeiro 2003, quando os alimentos tiveram uma elevação média de 2,65%.Para o coordenador do IPC, Márcio Nakane, a expectativa é de que o feijão continue a apresentar forte alta nas próximas divulgações do indicador. Isto porque, nas pesquisas de ponta da Fipe - levantamento em que a instituição compara os preços da semana de referência com a do mesmo período do mês anterior -, o feijão já está apresentando alta em torno de 50%. "A tendência é a de que o produto continue subindo e influenciando o IPC", comentou Nakane.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.