Fipe mantém previsão de 0,40% para inflação de abril

O coordenador da pesquisa de preços da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da USP), Heron do Carmo, admitiu hoje que a alta de 0,81% do IPC na primeira quadrissemana de abril foi além do que ele esperava para o período. No entanto, ele mantém a previsão para a inflação cheia de abril em 0,40%. Na opinião do economista, a aceleração da média dos preços nos últimos 30 dias encerrados no dia 7 ocorreu por conta de produtos cuja elevação deve desaparecer no decorrer deste mês. Ele citou o caso dos remédios, que fecharam a primeira quadrissemana com alta de 7,07%, superando em 3 pontos percentuais o reajuste de 4,14% verificado no fechamento de março. "Neste caso específico, o impacto ainda permanece porque a liberação dos preços dos medicamentos ocorreu na segunda se mana de março, o que significa que o ciclo de alta está se fechando agora", disse Heron do Carmo. Na comparação com o IPC apurado em março, de 0,67%, a taxa da primeira parcial de abril mostra uma elevação de 0,14 pontos percentuais. De acordo com Heron, metade dessa variação foi provocada pelos remédios. Outro fator de pressão foram os alimentos in natura, que fecharam o período em alta de 4,56%, influenciados basicamente pelo preço do tomate, reajustado em 62,92%. Só esse produto contribuiu com 0,11 pontos percentuais para a composição do índice. O IPC também captou uma contribuição de 0,5 pontos percentuais do reajuste do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), de 5,98%. Todas essas variações, de acordo com Heron do Carmo, contribuíram com 0,35 pontos percentuais para a taxa geral da inflação da primeira quadrissemana de abril. "Por isso não é o caso de se rever a previsão de inflação. Além disso, a tendência geral continua sendo de queda", disse o economista, que acrescentou que a queda do dó lar, ainda que num segundo momento, chegará ao varejo. Heron do Carmo acredita que mesmo que a queda do dólar demore a chegar ao varejo, já funcionará como um freio porque os empresários começam a considerar uma queda futura dos preços das matérias-primas. Os números do IPC da Fipe Os números do IPCA de marçoOs números do IGP-DI da Fundação Getúlio Vargas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.