Fipe mantém previsão de inflação para o ano entre 6% e 6,5%

O coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Paulo Picchetti, manteve sua projeção para o índice no fechamento do ano para entre 6% e 6,5%, mesmo tendo elevado a previsão para outubro, de 0,44% para 0,60%. A justificativa, segundo ele, embora o índice tenha fechado a terceira quadrissemana de outubro com uma alta de 0,53%, é que a média de reajuste dos preços continua em 0,40%, taxa que, conforme projeção anterior, se mantida nos últimos 4 meses de 2004, garantiria sua meta para o ano.De acordo com Picchetti, o grupo Alimentação, por causa da sua alta oscilação de preços, tem feito com que o índice apresente forte variação. Em setembro, por exemplo, quando os preços dos alimentos fecharam em deflação de 0,57%, o índice cheio fechou em 0,21%. Se a previsão da inflação para outubro, de 0,60%, for confirmada, a média nos dois meses (setembro e outubro) ficará em 0,40%.Quanto à alta do grupo Alimentação, Picchetti ressalta que ela poderá mostrar algum arrefecimento porque alguns do preços, que na quadrissemana pressionaram a alta do grupo, na ponta, já estão subindo menos ou até caindo. É o caso, por exemplo, do preço do maracujá, que fechou a terceira parcial do mês com alta de 24,56%, mas que, na ponta, já está caindo 8%, ante uma alta de 47% na semana passada.O mesmo ocorre com o limão, que na quadrissemana sofreu um reajuste de 31,51%, mas que, na ponta, está com uma alta de 10,32%, bem abaixo da ponta na semana passada, quando era de 45%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.