Fipe mantém previsão de inflação para outubro e para 2003

O coordenador da Pesquisa de Preços da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Heron do Carmo, manteve a sua previsão de inflação para outubro em 0,60% e de 8% para o encerramento do ano. Segundo ele, apesar de a taxa média de variação dos preços na segunda quadrissemana do mês - período de 30 dias encerrado no último dia 15 - ter se elevado em 0,05 ponto porcentual, de uma alta de 0,73% na segunda quadrissemana para 0,78%, o cenário inflacionário ainda se mostra tranqüilo, uma vez que o índice do período foi pressionado basicamente por reajustes pontuais de preços, como alimentos e tarifas.Só dos preços administrados a inflação da segunda quadrissemana recebeu uma contribuição de 0,36 ponto porcentual. Os destaques foram água e esgoto (12,80%), com contribuição de 0,27 ponto porcentual; táxi (33,04%) influenciou em 0,06 ponto na composição do IPC-Fipe; telefone celular (3,09%), contribuiu com 0,02 ponto porcentual; e metrô (1,99%), com 0,01 ponto.Da parte dos alimentos só as carnes bovinas, suínas e aves influenciaram o Índice em 0,18 ponto porcentual. Além disso, diz Heron do Carmo, as medidas de núcleo do IPC-Fipe estão em queda. O núcleo geral por exclusão do índice caiu de 0,45% na primeira quadrissemana, para 0,42%, e o núcleo industrial saiu de 0,44% para 0,41%.PerspectivasHeron do Carmo espera que a taxa de inflação na cidade de São Paulo em novembro caia para 0,50%. Ele disse ainda que esta taxa poderia fechar em 0,40%, se não fosse a pressão de 0,10 ponto porcentual que a inflação do mês que vem receberá do reajuste autorizado pela Caixa Econômica Federal (CEF) para os preços das loterias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.