Fipe mantém projeção de IPC em 0,50% para outubro

O coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Paulo Picchetti, manteve a sua previsão de inflação para outubro em 0,50%, mesmo com a aceleração do ritmo de alta dos preços, de 0,59% na primeira quadrissemana de outubro para 0,64% na segunda parcial do mês.O grupo composto pelos alimentos foi o que mais contribuiu para a aceleração da inflação no período. De acordo com Picchetti, os alimentos, que vinham mostrando taxas negativas nos últimos meses e que só na primeira quadrissemana de outubro voltaram para o terreno positivo ao subirem 0,19%, aceleraram sua alta para 0,42% na segunda tomada de preços de outubro.Outro grupo com forte influência na composição do índice na segunda parcial do IPC em outubro foi o de transportes, com variação de 1,83%. Em termos nominais, o transporte foi a maior alta dentro do índice. Isso confirma, segundo o coordenador do IPC-Fipe, o cenário previsto pelos analistas do mercado."De fato, os combustíveis atingiram o pico de alta na segunda quadrissemana", disse Picchetti, justificando que o aumento da gasolina só não foi inferior aos 8,3% na quadrissemana anterior - agora foi de 7,33% - porque, como o aumento foi autorizado em 10 de setembro, a coleta de preços para a segunda quadrissemana só captou três dias de alta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.