Fipe prevê inflação de 0,21% em SP em outubro

A inflação na capital paulista medida pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) ficará praticamente no mesmo nível do fechamento do mês passado, que foi de 0,21%. Segundo a previsão do coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe, Paulo Picchetti, o maior aumento individual será da tarifa de água e esgoto, que mostrará um impacto de 0,10 ponto porcentual. Em setembro, este item foi o segundo que mais subiu, contribuindo para o IPC com 0,04 ponto porcentual ao exibir uma alta de 1,62%.O impacto da tarifa de telefone fixo para este mês é calculado em 0,06 ponto porcentual, devido à segunda parcela do reajuste motivado pela mudança do índice que baliza os aumentos das tarifas no setor - de IPCA para IGP-M.Outra pressão virá do preço dos bilhetes do metrô, que deverá apresentar participação de 0,01 ponto porcentual. Segundo Picchetti, este item apresentará alta devido à recuperação dos preços, em relação ao mês passado, que caíram em função de um roubo dos bilhetes.O coordenador prevê ainda uma pressão de 0,03 ponto porcentual em outubro, por causa do dissídio dos funcionários de condomínio. Para calcular o impacto, Picchetti recorreu à estimativa histórica de 6,10%, que terá sua pressão dividida também com novembro, mês em que haverá nova contribuição de 0,03 ponto porcentual.A tarifa de energia elétrica responsável pelo maior aumento individual em setembro (0,07 ponto porcentual) será zerada no mês corrente. As demais altas são esperadas pelo coordenador de forma difusa, sem destaque para nenhum produto ou serviço especificamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.