Fipe prevê inflação de 0,40% em fevereiro

O coordenador da Pesquisa de Preços da Fipe, Paulo Picchetti, prevê uma taxa de inflação de 0,40% para fevereiro. Esta taxa, segundo ele, será composta basicamente por uma contribuição de 0,05 ponto porcentual vinda do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), de 0,20 ponto porcentual dos alimentos e 0,15 ponto dos produtos industrializados. De acordo com Picchetti, o vencimento do IPTU foi totalmente concentrado em fevereiro e, apesar da alíquota ter sofrido reajuste e o fato de o desconto para o pagamento à vista também ter sido elevado, isso compensará, em parte, a majoração da alíquota. Para o ano, o economista da Fipe mantém a previsão de uma taxa de inflação entre 6% e 6,5%.O núcleo do IPC da Fipe fechou janeiro em 0,25%, praticamente estável ante as primeira e segunda parciais do mês, de 0,23%, e igual à taxa apurada na terceira prévia do índice em janeiro. Para Picchetti, este é um bom indicador de tendência porque para a inflação fechar o ano entre 5,5% e 6%, o núcleo poderia estar oscilando entre 0,44% e 0,48%. "Portanto, a medida de núcleo do IPC-Fipe está bem abaixo da taxa de convergência para a meta", disse.A manutenção do núcleo do IPC-Fipe somado à desaceleração de 0,09 ponto porcentual do índice geral, de 0,74% na terceira quadrissemana para 0,65%, são indicadores, segundo Picchetti, confirmam o caráter sazonal do repique inflacionário em janeiro. O comportamento dos preços dentro dos grupos Alimentação e Vestuário foi o principal responsável pela desaceleração de 0,09 ponto porcentual na taxa de inflação na cidade de São Paulo no encerramento de janeiro, de 0,74% na terceira quadrissemana para 0,65%. A média de alta dos alimentos no final do mês ficou em 0,54% ante uma taxa de reajuste de 0,90% apurada na terceira quadrissemana do IPC-Fipe. O grupo Vestuário, que na terceira quadrissemana havia mostrado uma taxa de 0,04% de aumento fechou o mês em queda de 0,79%. "São Pedro está ajudando a derrubar os preços da roupas de Verão. Para se ter uma idéia, os preços dos maiôs e biquínis caíram 1,67% em janeiro", diz Picchetti.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.