Fipe prevê inflação de 0,50% para junho

O coordenador da Pesquisa de Preços da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Paulo Picchetti, previu hoje uma taxa de inflação de 0,50% para junho, mesmo considerando que a maior pressão sobre os preços acontecem a partir da metade do ano em decorrência do reajuste das tarifas públicas. Segundo ele, dois terços da inflação projetada para o ano deverá ser realizada no segundo semestre. Até maio, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe acumula uma alta de 4,45% e a previsão do economista, por enquanto, é de uma taxa de 5,5% para o encerramento de 2004.De acordo com Picchetti, a inflação projetada para junho se concretizará a partir de um piso já conhecido de 0,22 ponto porcentual. Este piso, segundo ele, é composto por uma contribuição negativa de 0,01 ponto porcentual no preço do gás canalizado e de elevações de 0,06 ponto dos contratos de assistência médica; de 0,07 ponto porcentual resultante de um movimento estatístico ocorrido com a redução da passagem de ônibus em 1º de maio (neste dia a Prefeitura de São Paulo reduziu o preço da passagem de ônibus na capital de R$ 1,70 para R$ 1,00).Além disso, a inflação de junho será ainda influenciada por um impacto de 0,10 ponto porcentual, divididos em 0,04 ponto do aumento de 1,5% no preço da gasolina e mais 0,06 ponto decorrente do reajuste de 12% no álcool.

Agencia Estado,

03 de junho de 2004 | 13h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.