Fipe prevê inflação de 0,80% para março em SP

A decisão do prefeito José Serra de elevar a passagem de ônibus na cidade de São Paulo em 17,65%, de R$ 1,70 para R$ 2,00, vai mais que dobrar a taxa de inflação medida pela Fipe no mês de março. Segundo previsão inicial feita pelo coordenador do IPC-Fipe, Paulo Picchetti, o índice fechará o mês em 0,80%, mostrando uma aceleração de 0,44 ponto porcentual em relação à taxa média de reajuste de preços, de 0,36%, apurada no mês de fevereiro.O aumento anunciado nesta semana entrará em vigor no próximo sábado, exercendo uma pressão integral sobre a inflação de 0,64 ponto porcentual, divididos em 0,55 pp sobre a inflação de março e 0,09 pp sobre o índice de abril. Isso significa que o piso da inflação no mês de março, só por conta do ônibus, será 0,19 ponto porcentual acima do índice geral de fevereiro. Segundo Picchetti, a passagem de ônibus é um dos maiores pesos individuais (4,4 %) sobre o orçamento das famílias paulistanas com renda mensal entre 1 e 20 salários mínimos. Para cada R$ 100, o consumidor desembolsa R$ 4,40 com transporte coletivo. Para efeito de comparação, o peso da passagem do metrô sobre o orçamento do consumidor é de 0,59%."Em termos de tendência, a inflação prevista para março, de 0,80%, não oferece muito. Isso porque em março do ano passado, o IPC fechou em 0,12%", disse Picchetti, acrescentando que com a menor pressão do ônibus sobre a inflação de abril (0,09 pp), o IPC voltará para um patamar menor.Além disso, Picchetti acredita que o subgrupo de alimentos in natura começará a partir de agora a devolver a alta acumulada no primeiro bimestre do ano. Foram justamente os in natura, cuja variação desacelerou de 5,31% na terceira quadrissemana de fevereiro para 5,20% no fechamento do mês, que fizeram com que a inflação fechasse em 0,36%, mostrando uma ligeira baixa em relação à estimativa do coordenador, de 0,40%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.