Fipe prevê inflação entre 5 e 5,5% neste ano

A inflação na capital paulista, medida pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), deve registrar uma alta de 5% a 5,5%, de acordo com a expectativa do coordenador do IPC-Fipe, Paulo Picchetti. Se esta projeção se confirmar, será o terceiro ano consecutivo de queda da inflação na comparação anual. Em 2002, o IPC registrou alta de 9,90%. No ano seguinte, subiu 8,18%, e no ano passado, atingiu 6,56%, resultado mais baixo desde 2000 (4,38%).Picchetti fez sua projeção considerando o dólar cotado em R$ 3,00. Ele prevê uma inflação abaixo da registrada em 2004 porque acredita que o choque de ofertas verificado no ano passado não deva se repetir em 2005. "Pelo menos não devem ocorrer na mesma intensidade", afirmou.Além disso, ele também considerou em seus cálculos a afirmação dos diretores do Banco Central, de que a instituição não será tolerante em relação aos efeitos secundários desses choques para os preços finais. Ele acredita também que o terceiro ano de queda consecutiva da inflação seja uma conseqüência da estabilidade da economia no Brasil e no mundo.Mensalidades escolares devem pressionar inflação em janeiroO IPC da Fipe deve fechar janeiro com alta de 0,60% na cidade de São Paulo, prevê Picchetti. De acordo com ele, a principal elevação do período deverá vir do grupo Educação, em função do início das matrículas e dos reajustes das mensalidades escolares.Ele considera a variação "significativa", mas lembrou que, nos primeiros meses do ano, a taxa de inflação costuma ser mais expressiva, devido à sazonalidade (efeitos temporais), já que, além de Educação, também pesam no índice altas ou elevações oriundas de serviços relacionados a férias e pagamentos de impostos.A estimativa do coordenador, para a área educacional, foi feita com base na projeção do sindicato do setor, que conta com aumento médio de 10% para os cursos regulares, que compreendem os níveis desde o maternal até a faculdade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.