finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Fipe prevê inflação zero em julho e de 5,5% no ano

A taxa de inflação esperada para julho continuará próxima de zero, mas com a diferença de que a tendência de ligeira queda, prevista anteriormente, passa a ser de alta. Esta é uma das novidades que a taxa de 0,17%, de reajuste dos preços ao consumidor, na terceira quadrissemana do IPC-Fipe (período de 30 dias encerrado no último dia 23), traz para o cenário inflacionário traçado pelo coordenador do índice, Paulo Picchetti. Ele acrescentou que a inflação do mês, apesar de caminhar para uma taxa positiva, não deve acelerar em relação à variação de 0,17% registrada no período. Ele manteve para o ano a previsão de uma inflação entre 5% e 5,5%.Por trás do comportamento dos preços nos últimos 30 dias, segundo Picchetti, está a oscilação no preço dos alimentos. Para se ter uma idéia de quanto esses produtos estão influenciando a média de preços na cidade de São Paulo, do total de 20 itens cujos preços mais caíram na terceira parcial da Fipe, 15 são alimentos. O curioso é que, entre estas quedas, estão produtos, como carnes, leite e verduras, que, normalmente, têm seus preços elevados no inverno. A surpresa, para Picchetti, veio do grupo Vestuário, que mostrou aceleração de 0,22 ponto porcentual, de uma alta de 0,77% na segunda quadrissemana, para 1,02% na terceira. Porém, afirmou o coordenador, o preços neste segmento devem continuar subindo, mas numa velocidade menor, dado o comportamento na ponta, que saiu de 2,4% na quadrissemana anterior, para 1,10% agora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.