Fipe prevê IPC em 0,10% e destaca peso da energia elétrica

O coordenador da Pesquisa de Preços da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Heron do Carmo, confirmou hoje a sua previsão para uma taxa de 0,10% para a inflação fechada na cidadede São Paulo em junho pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC). Heron do Carmo também afirmou que o resultado de 0,23% do IPC para a segunda quadrissemana de junho foi muito bom, pois mostrou uma queda em relação à primeira quadrissemana, quando atingiu 0,28%, mesmo tendo sido fortemente impactado pela tarifa de iluminação pública da cidade. A energia elétrica, por conta da tarifa, sofreu um aumento de 5,75% na segunda quadrissemana de junho. Isso resultou num impacto de 0,24 ponto porcentual para a composição do Índice, que fechou em 0,23%. A tarifa de iluminação pública contribuiu com 0,24 ponto sobre o IPC, para uma taxa nominal de inflação de 0,23% na segunda quadrissemana do mês. "Sem a taxa de iluminação pública, a inflação na cidade no período seria zero", disse Heron.reforça a perspectiva de recuo da inflaçãoAinda segundo o economista, do aumento total de 6% na conta de energia elétrica em razão da iluminação pública, 5,75% entraram na segunda quadrissemana de junho. Ele destaca, no entanto, que não se pode atribuir somente a tarifa de iluminação pública à alta da inflação. O arroz, a maior alta nominal dentro do Índice, de 11,60%, deu uma contribuição para a formação do IPC de 0,10 ponto porcentual. "Como a tarifa de iluminação atingiu seu pico agora, a tendência é de que nas próximas semanas sua pressão desapareça sobre o Índice", disse ele, para quem a inflação de junho deverá fechar abaixo do índice registrado em maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.