Fipe revê inflação para maio de 0,4% para 0,3%

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) está revendo a projeção do índice de custo de vida para maio de 0,4% para 0,3% após o anúncio pela Petrobras de uma diminuição média de 10% nos preços da gasolina e óleo diesel nas refinarias, excluídos os impostos Cide e Pis/Cofins, e de 18,3% nos preços do óleo combustível. Heron do Carmo, coordenador do índice de custo de vida (IPC) da FIPE, estima que com a aplicação de impostos como a Cide e Pis/Cofins o preço da gasolina para o consumidor final (na bomba) caia 5% (o governo estima em 6,5%). Heron do Carmo diz que a redução nos preços dos combustíveis não é suficiente para que reveja sua projeção de inflação anual (IPC-Fipe) de 9% para este ano. Ele diz que o resultado do ano vai depender dos reajustes para a telefonia e energia elétrica. "Se os reajustes forem concedidos na faixa de 30% a estimativa de inflação anual poderá até mesmo superar os 9% previstos atualmente", afirma Heron. Segundo ele, o impacto da queda no preços da gasolina no IPCA deve ser uma redução entre 0,2% a 0,3% para maio. No caso do IPC-Fipe o impacto é de uma redução de 0,13% no índice inflacionário de maio (previsto inicialmente em 0,4%). Ele diz que concentra suas análises mais no IPC-Fipe e por isso prefere não estimar uma projeção para o IPCA anual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.