Fipe revê previsão de IPC de junho e aponta deflação de 0,05%

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) acaba de revisar sua projeção de inflação para junho de uma alta de 0,10% para uma deflação de 0,05%. A informação foi dada hoje pelo coordenador da Pesquisa de Preços da Fipe (IPC), Heron do Carmo. A alteração, de acordo com ele, foi motivada pela forte desaceleração da inflação na cidade de São Paulo, da taxa de 0,23% na segunda quadrissemana para 0,09% na terceira parcial do IPC-Fipe em junho (veja mais informações no link abaixo). Heron prevê que para as duas primeiras quadrissemanas, de julho o índice deverá ampliar ainda mais o seu ritmo de queda. Só a partir da terceira parcial, quando a inflação já deverá estar incorporando os impactos dos reajustes das tarifas públicas, é que o IPC poderá voltar a apresentar variação positiva. Portanto, no mês que vem a previsão do economista é que o índice volte a subir para algo em torno de 0,50%. Em agosto, quando a pressão dos reajustes das tarifas deve atingir o seu pico, o IPC poderá se elevar para um porcentual próximo a 0,90%, mas voltando para a casa dos 0,10% em setembro.Para o trimestre encerrado em julho, Heron projeta um índice de inflação de 0,85%, significativamente inferior a taxa de 6,82% acumulada no trimestre terminado em janeiro e abaixo também do índice de 1,56% no período de três meses até maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.