Firjan: índice de produção exportada cresceu em 2009

O Índice Firjan de Produção Exportada (IFPE), que mede a proporção de exportações sobre o total da produção da indústria de transformação, apresentou alta em 2009. Ele foi de 22% em 2008 para 22,9%, indicando que, apesar da forte queda nas exportações, o mercado externo aumentou sua relevância para vários setores da indústria.

DÉBORA THOMÉ, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2010 | 14h23

No cálculo, a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) considera apenas os volumes na produção e nas vendas para o exterior. No ano passado, enquanto os preços internacionais caíram 20,4%, a quantidade exportada foi apenas 2,9% menor. "Diversos segmentos industriais brasileiros ganharam mercado em meio à crise em relação a 2008, com suas exportações aumentando a participação mesmo diante de queda na produção", disse a Firjan.

Entre os produtos em que houve alta da participação das exportações estão metalurgia básica, celulose e papel, couros e calçados e alimentos. Já automóveis, máquinas e equipamentos, produtos de madeira e móveis diminuíram bastante a parcela da sua produção destinada ao mercado externo.

A Firjan faz também a mesma avaliação de dados para os Estados do Rio de Janeiro e São Paulo separadamente. No caso de São Paulo, em 2008, 22,3% do volume produzido pela indústria de transformação foi exportado; em 2009, o porcentual subiu para 25,5%, puxado também pelos setores de papel e celulose, metalurgia e produtos alimentícios. Se tratando do Rio de Janeiro, o Estado tem um perfil de baixo exportador, ainda que seja o terceiro maior do País em vendas para o exterior. Assim, em 2009, apenas 11,6% da produção foi exportada. De qualquer forma, o número é maior que o do ano retrasado.

"A boa notícia destes números é que, mesmo em um ano ruim, o índice de exportações conseguiu ser mantido em vários setores", afirmou Luciana de Sá, diretora de Desenvolvimento Econômico da Firjan. Segundo ela, a expectativa para 2010 é de que, mesmo com o aumento da demanda interna, o índice se mantenha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.