Firjan prevê recuperação lenta em 2002

A chefe da assessoria de pesquisas econômicas da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Luciana de Sá, previu uma "recuperação lenta" para a produção industrial brasileira em 2002. Segundo ela, essa recuperação será impulsionada especialmente por pequena redução na taxa básica de juros e aumento das exportações. Segundo a economista, as 23 maiores empresas industriais do Estado do Rio estão prevendo, até o momento, uma expansão em torno de 2% para a indústria nacional, neste ano. Em 2001, o crescimento industrial acumulado foi de 1,5%, segundo os dados divulgados hoje pelo IBGE. Para Luciana, o resultado do ano passado foi "bom" diante do cenário adverso enfrentado pela indústria, incluindo taxas de juros elevadas, volatilidade do câmbio, racionamento energético e desaceleração da economia norte-americana. "Foi um ótimo desempenho. Olhando todos esses fatores, poderia ter sido bem pior", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.