Fiscais agropecuários começam a voltar ao trabalho

Aos poucos, os fiscais federais agropecuários estão voltando ao trabalho nesta sexta-feira, depois de 18 dias de greve. O vice-presidente da Associação Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa), Wilson Roberto de Sá, afirmou que a categoria aceitou proposta do governo federal para reajuste de 20% nos salários dos fiscais. O aumento será parcelado em duas etapas: 10% em janeiro e mais 10% em junho, informou a Anffa. Durante a greve, os fiscais chegaram a pedir reajuste salarial de 64%, o que foi negado pelo Ministério do Planejamento. "Entendemos que o reajuste está muito aquém, mas decidimos dar prosseguimento aos trabalhos nas unidades de produção. O governo veio com uma série de ameaças", disse Sá. Para ele, a delegação das funções dos fiscais federais para o governo dos estados seria "um caos". A delegação foi anunciada nesta semana pelo secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto. Outra alternativa anunciada para evitar prejuízos às exportações foi a contratação temporária de 500 agrônomos e veterinários. Hoje pela manhã, 17 estados decidiram aceitar a proposta do governo e voltar ao trabalho. Ele evitou falar em prejuízos.

Agencia Estado,

25 Novembro 2005 | 16h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.