Fitch ameaça rebaixar nota dos Estados Unidos

Agência acredita que o teto da dívida será elevado, mas vê risco maior de calote por conta da disputa política e flexibilidade financeira reduzida

Agência Estado

15 de outubro de 2013 | 18h14

SÃO PAULO - A agência de classificação de risco de crédito Fitch Ratings colocou o rating AAA dos Estados Unidos em revisão para possível rebaixamento. A perspectiva do rating já era negativa. A Fitch afirmou que espera resolver a revisão negativa até, no máximo, o fim do primeiro trimestre de 2014, mas frisou que isso vai depender dos próximos acontecimentos e da duração de um acordo sobre o teto da dívida norte-americana.

O prazo final para elevar o teto da dívida americana acaba em 17 de outubro. "Apesar de a Fitch continuar acreditando que o teto da dívida será elevado em breve, as disputas políticas e flexibilidade financeira reduzida podem aumentar o risco de um default", disse a agência, em relatório, frisando que o Tesouro pode ser incapaz de priorizar o pagamento do serviço da dívida e que "ainda não está claro se ele tem a autoridade para isso".

A agência destacou que as negociações prolongadas sobre o limite de endividamento do país colocam em risco a confiança no papel do dólar como moeda de reserva global, ao lançar dúvida sobre o crédito dos EUA. "Essa confiança é o principal motivo pelo qual o rating AAA dos EUA pode tolerar um nível de dívida pública substancialmente mais alto do que outros ratings triplo A", explicou a Fitch.

Após o a anúncio, o Departamento do Tesouro americano divulgou comunicado dizendo que a colocação do rating de crédito dos em observação "reflete a urgência com a qual o Congresso deveria agir para remover a ameaça de default que paira sobre a economia".

Segundo a agência, o rating AAA do país reflete a força da economia e os fundamentos do crédito norte-americano. Porém, a revisão negativa do rating reflete riscos que podem levar a um rebaixamento.

A Fitch afirmou que o fracasso do governo em honrar juros e principal de pagamentos levaria a um rebaixamento dos EUA para default restrito (DR) até que a situação seja resolvida. Já o teto-país deve continuar em AAA.

"No caso de um acordo para elevar o teto da dívida e resolver a paralisação, o que a Fitch espera que aconteça, a revisão do rating levará em conta a forma e a duração do acordo e o risco de um episódio semelhante ocorrer no futuro", afirmou a agência. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
eua.orcamentotetodadivida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.