Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Fitch pode rebaixar seis países europeus

Bélgica, Espanha, Eslovênia, Itália, Irlanda e Chipre entram no radar da agência que mantém o triplo A da França, mas com perspectiva negativa

NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2011 | 03h07

A agência de classificação de risco Fitch informou ter colocado em revisão para potencial rebaixamento as notas de Bélgica, Espanha, Eslovênia, Itália, Irlanda e Chipre. A agência também reiterou o triplo A da França, mas rebaixou a perspectiva da nota de estável para negativa, afirmando que o crédito do país pode sofrer pressão da piora na situação econômica e financeira da zona do euro.

Exceto em relação à situação francesa, a decisão da Fitch sobre os países deve sair até o fim de janeiro de 2012 e, se houver rebaixamento, seria limitado a um ou dois graus. A agência afirma que, após a reunião de cúpula da União Europeia, "concluiu que uma solução abrangente para a crise da zona do euro está técnica e politicamente fora de alcance".

A Fitch também critica a posição do Banco Central Europeu (BCE), afirmando que a relutância da instituição em garantir aos países da zona do euro o mesmo grau de auxílio que concede aos bancos da região mina os esforços do bloco monetário para criar uma barreira de contenção da crise.

França. Segundo a Fitch, há uma chance levemente maior que 50% de o rating da França ser rebaixado. O rebaixamento aconteceria se o governo não conseguisse cumprir suas metas fiscais - em particular a de estabilizar a relação entre dívida e Produto Interno Bruto (PIB) até 2013 - e também se o país apresentar um desempenho econômico mais fraco que o esperado.

"Quando comparada a outras nações da zona do euro com rating AAA, a França é, na opinião da Fitch, a mais exposta a uma intensificação da crise. O país possui um déficit orçamentário estrutural e encargos de dívidas públicas mais altos do que o dos parceiros AAA do bloco monetário", informou a agência.

"Além disso, em relação a outros países com rating AAA que não estão na zona do euro, como os EUA e o Reino Unido, os riscos oferecidos à França por uma intensificação na crise do bloco monetário são maiores por causa do compromisso da nação com o Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (Feef) e com o Mecanismo de Estabilidade Europeu", acrescentou.

A Fitch diz que, na ausência de choques ligados a uma piora dramática na crise da zona do euro, a decisão sobre a redução na nota francesa deve sair em 2013. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.