Fitch põe País em 40º lugar entre os mais vulneráveis

A agência de classificação de risco Fitch Rating advertiu para os riscos do aumento da inflação na solidez do crédito soberano dos países emergent provocaes e divulgou um índice de vulnerabilidade macroeconômicada por choques de inflação. O índice, composto por 73 países, é encabeçado por Jamaica, Ucrânia e Casaquistão. O Brasil aparece em 40º lugar, mostrando vulnerabilidade maior que a do Chile (47º), Peru (65º), Colômbia (66º), México (70º) e Uruguai (71º). Entre os países do Bric (siglas de Brasil, Rússia, Índia e China), a Rússia é o país mais vulnerável, no 19º lugar, seguido por Índia (35º), Brasil (40º) e China (52º). "O aumento da inflação acima da desaceleração econômica é o principal desafio das autoridades monetárias nas economias emergentes. A inflação baixa e estável favoreceu a estabilidade macroeconômica e permitiu aos governos tomar recursos localmente, em vez de acumular dívida em moeda estrangeira nos mercados de capital internacional", disse o chefe de ratings soberanos da Fitch, David Riley.Uma das principais conclusões da Fitch é que, embora o atual choque de inflação tenha um amplo componente internacional, os desafios da inflação enfrentados pelos países emergentes estão longe de serem "puramente" de oferta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.