Fitch Ratings reitera grau de investimento para o Brasil

A agência de classificação de risco Fitch Ratings reiterou o rating de probabilidade de inadimplência do emissor (IDR) soberano de longo prazo, em moeda local e estrangeira, do Brasil em BBB-. A perspectiva do rating é estável. A Fitch também afirmou o rating IDR de curto prazo em moeda estrangeira do País em F3 e o chamado teto país em BBB.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

12 Maio 2009 | 16h37

Em nota, a Fitch afirmou que a classificação do Brasil como grau de investimento tem suporte de um balanço financeiro externo robusto, de uma maior defesa da estabilidade econômica e de um consenso no ambiente político sobre a implementação de políticas macroeconômicas. "A estrutura política geral do Brasil tem se fortalecido nos últimos anos e a resposta para a crise financeira até agora tem sido relativamente sólida", disse a agência.

No entanto, a Fitch observou que os ratings do País "permanecem limitados pela pesada dívida do governo, pelo contínuo enfraquecimento estrutural das finanças públicas, pelo relativamente modesto crescimento e pelo lento ritmo das reformas".

"Apesar de a Fitch esperar que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil tenha contração de mais de 1% em 2009, a maior flexibilidade da política monetária, o relativamente sólido sistema financeiro e a maior economia doméstica sugerem que a economia do Brasil estará bem posicionada para se recuperar quando o ambiente financeiro externo melhorar", afirmou Shelly Shetty, diretora da equipe de ratings soberanos da Fitch.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.