coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Fitch rebaixa avaliação de apoio de 6 bancos brasileiros

A Fitch Ratings rebaixou avaliação (rating) de apoio (no caso de uma crise) de seis bancos brasileiros. A nota de Banco do Brasil, BNDES, Bradesco, Itaú e Unibanco foram rebaixados de 2T para 4T. O do BCN foi rebaixado de 3T para 4T. A classificação de apoio da Fitch representam a avaliação que a agência faz sobre se um determinado banco deverá receber apoio, caso seja necessário. Segundo a nota da Fitch, a agência "continua a ver Banco do Brasil, BNDES, Bradesco, Itaú e Unibanco como os líderes entre os bancos comerciais no Brasil, controlando juntos mais de 40% da base de depósitos no varejo no país. Assim as expectativas da Fitch são de que haveria apoio oficial, caso necessário. Entretanto, dado que os ratings soberanos do Brasil em moeda local continuam consideravalmente abaixo do grau de investimento, a Fitch considera que esse apoio é provável, mas não certo, levando, portanto, à mudança nos ratings de apoio dos bancos em questão. As preocupações com transferência de risco permanecem, como indicado pelo sufixo T adicionado aos ratings de suporte". O texto acrescenta que "essas mudanças não tiveram impacto nos demais ratings dos bancos, que são mantidos em: individual B/C para Bradesco, Itaú e BCN, C para Unibanco e D/E para Banco do Brasil; a Fitch não atribui ratings individuais ou de curto ou longo prazo para o BNDES. A classificação da dívida de curto e de longo prazo em moeda estrangeira dos todos os bancos permanecem no tero da classificação soberana, respectivamente B e BB-, e a perspectiva de avaliação de longo prazo é negativa. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

09 de maio de 2002 | 17h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.