Fitch rebaixa classificação de bancos após medidas do BC

A agência internacional de classificação de risco Fitch Ratingsrebaixou a classificação da dívida de longo prazo em moeda local e estrangeira de diversos bancos brasileiros. "Essa ação é em conseqüência ao rebaixamento da classificação da dívida soberana do Brasil implementada na segunda-feira", diz a nota da Fitch. O rebaixamento da nota individuais dos bancos reflete a intensificação do risco no ambiente de operações com o Brasil lidando com uma crise de confiança nos mercados financeiros doméstico e no exterior que tem levado à uma acentuada desvalorização do real e a uma elevação na já elevada taxa de juro local. As medidas adotadas pelo Banco Central para conter a desvalorização do real também colocaram um encargo adicionalsobre o sistema financeiro, com o aumento substancial das exigência de reserva sobre depósitos e exigência de capital sobre a posição líqüida cambial, limitando as opções para os bancos diversificarem seus ativos e/ou protegerem seu capital da desvalorização do real. A agência rebaixou o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria Brasil, Banco Bradesco, Banco do Brasil, Banco Itaú, Banco Safra, Banco Santos, Unibanco, BNDES, Caixa Economica Federal, Banco Mercantil de São Paulo, BankBoston Banco Multiplo, Banco BBA Creditanstalt, Banco Nossa Caixa, Banco Sudameris Brasil e, Banco Industrial e Comercial (BICBANCO),Veja lista completa dos rebaixamentos no site da Fitch Ratings(www.fitchratings.com). As informações são do site da Fitch Ratings.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2002 | 21h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.