Fitch rebaixa ratings de várias empresas brasileiras

A agência internacional de análise de risco Fitch Ratings rebaixou os ratings da dívida em moeda local e escala nacional de diversas companhias brasileiras, assim como algumas operações de financiamento de crédito. Além disso, a Fitch também colocou os ratings de diversas companhias brasileiras em Rating Watch Negative ou Rating Outlook Negative (observação com implicações negativas)."A ação sobre os ratings considera a contínua deterioração no ambiente operacional no Brasil, uma perspectiva de crescimento doméstico mais fraca e uma contração nas linhas de crédito externa disponíveis para as companhias brasileiras", diz a nota divulgada pela Fitch. "Além disso, a acentuada desvalorização do real e o aumento da já elevada taxa de juro local vão se somar à pressão financeira já enfrentada por muitas companhias brasileiras.?Segundo o comunicado, ?tais fatores afetam a habilidade dessas companhias de gerarem fluxo de caixa para honrarem obrigações de serviço da dívida e para refinanciarem a dívida de curto prazo?. A Fitch disse que vai continuar a monitorar atentamente os eventos no Brasil assim como outros fatores que possam afetar os riscos de crédito.As companhias que tiveram ratings e/ou perspectivas rebaixadas, segundo o site da Fitch, são: Brasil Telecom, BSE, Companhia Siderúrgica Nacional, MRS, Sadia, Splice, Tele Centro Oeste, Tele Norte Leste, Telemar Norte Leste, Tractebel, Vicunha, Aracruz, Bunge, Braskem, Companhia Vale do Rio Doce, CTBC Telecom, Eletrobrás, OPP Química, Saneago, Samarco, Trikem, ATL, Brazilian Diversified Payment Rights Finance Company, MSF Funding LLC (DVI).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.