Fluxo cambial fica positivo em US$ 2,95 bi em agosto

A entrada de dólares no Brasil deu um salto em agosto. Dados divulgados ontem pelo Banco Central mostram que o saldo foi de US$ 2,95 bilhões no mês passado, o quinto resultado mensal positivo consecutivo. O valor é 132% maior que o observado em julho e quase três vezes superior ao apurado em junho. Os recursos têm ingressado para o investimento produtivo e aplicações financeiras. O movimento, no entanto, teve reversão nos primeiros dias de setembro, quando estrangeiros se desfizeram de ações na bolsa paulista.

Fernando Nakagawa, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

10 de setembro de 2009 | 00h00

Em agosto, a maior parte dos dólares que ingressaram no Brasil veio pela chamada conta financeira, responsável pela entrada de US$ 1,61 bilhão. Nessa conta, são considerados os recursos transferidos para investimentos produtivos e aplicações, como compra de ações e títulos públicos federais. "Estrangeiros continuam sendo atraídos ao Brasil. A entrada acontece tanto por investimentos produtivos como pelo setor financeiro. Há a percepção de que o mercado brasileiro segue muito atrativo", diz o gerente de câmbio da Fair Corretora, Mário Battistel.

Nos dados de agosto, também chama a atenção a inversão do resultado da conta do comércio exterior, que voltou ao azul após dois meses de déficit. No mês passado, houve ingresso de US$ 1,34 bilhão por essa via. Em julho, o segmento havia apurado saída de US$ 2,83 bilhões.

Para Battistel, alguns exportadores que mantinham dólares no exterior decidiram trazer parte dos recursos para o Brasil. Por isso, o volume de dólares movimentados por exportações e que ingressaram no País em agosto superou em 30,1% o apurado em julho. Ao mesmo tempo, o gasto para o pagamento de importações diminuiu 9,3%.

SETEMBRO

O ingresso de dólares observado entre abril e agosto destoa do resultado preliminar de setembro. Nos quatro primeiros dias úteis do mês, o Brasil perdeu US$ 1,1 bilhão. A saída reflete principalmente a venda de ações realizada pelos estrangeiros. Segundo dados da Bolsa de Valores de São Paulo, estrangeiros se desfizeram de cerca de R$ 1 bilhão apenas nos primeiros três dias de setembro - o que explica metade da saída dos dólares.

O restante do saldo negativo, conforme os dados do BC, ocorreu porque exportadores reduziram a transferência de dólares para o Brasil. Ao mesmo tempo, as importações continuam a todo vapor, com a saída diária de mais de US$ 600 milhões para o pagamento de mercadorias e serviços adquiridos no exterior.

Mário Battistel afirma, no entanto, que o resultado negativo preliminar do início do mês não parece ser, pelo menos até agora, forte o suficiente para perdurar e ser entendido como um sinal de uma reversão da tendência de ingresso de dólares observada há vários meses.

NÚMEROS

132% foi quanto

o saldo de entrada de dólares cresceu em agosto, em relação a julho

US$ 1,61 bilhão

foi o total que entrou no País pela conta financeira, que envolve

recursos para investimentos produtivos e aplicações

US$ 1,1 bilhão

foi a saída de dólares nos primeiros 4 dias de setembro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.