Fluxo cambial fica positivo em US$ 2 bi em setembro

Foi o maior volume desde abril do ano passado, quando houve saldo positivo de US$ 2,7 bilhões, segundo o Banco Central

Reuters

08 de outubro de 2014 | 12h51

O fluxo cambial, entrada e saída de moeda estrangeira do país, fechou setembro com superávit de US$ 2,044 bilhões, informou o Banco Central nesta quarta-feira, maior volume desde abril passado, quando houve saldo positivo de US$ 2,783 bilhões.

Em outubro até o dia 3, o fluxo ficou positivo em US$ 505 milhões.

O desempenho do mês passado foi puxado tanto pela conta financeira - por onde passam os investimentos estrangeiros direitos, em portfólio, entre outros -, quanto pela conta comercial.

A conta financeira fechou setembro com saldo positivo de US$ 1,022 bilhão, enquanto a conta comercial teve superávit de US$ 1,021 bilhão.

No acumulado do ano, o fluxo cambial está positivo em US$ 1,848 bilhão. Só na semana passada, segundo o BC, o fluxo cambial ficou negativo em US$ 1,012 bilhão. 

O dólar teve em setembro a maior alta mensal sobre o real em três anos, de 9,28%, com investidores reagindo ao avanço da presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição e é alvo de críticas do mercado financeiro, nas pesquisas de intenção de voto.

Parte desse avanço da moeda norte-americana evaporou em outubro, após Aécio Neves (PSDB), que promete uma política econômica mais ortodoxa, garantir uma vaga no segundo turno e aproximar-se de Dilma como nunca antes na campanha.

O BC informou também que os bancos tinham posição cambial vendida de US$ 17,163 bilhões em setembro, ante US$ 18,826 bilhões em agosto.

Tudo o que sabemos sobre:
dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.