Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Fluxo cambial tem pior resultado desde dezembro de 2006

Saídas de dólares somam US$ 2,494 bi em julho; fluxo fica negativo por 2 meses seguidos pela 1ª vez desde 2005

Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

06 de agosto de 2008 | 13h00

O fluxo cambial (entrada e saída de dólares do País) ficou negativo em US$ 2,494 bilhões em julho, o pior valor desde dezembro de 2006, segundo dados divulgados pelo Banco Central nesta quarta-feira, 6. Com o resultado, acentuou-se a tendência já verificada em junho, quando as saídas líquidas de dólares do País somaram US$ 877 milhões. Essa é a primeira vez em que o fluxo cambial fica negativo por dois meses seguidos - julho e junho - desde setembro de 2005. Segundo o BC, o fluxo negativo do mês passado foi determinado pela saída de US$ 5,130 bilhões da conta financeira, resultado de compras que somaram US$ 44,683 bilhões e vendas de US$ 49,813 bilhões. Em junho, a conta financeira havia ficado negativa em US$ 5,578 bilhões e em julho de 2007 positiva em US$ 6,095 bilhões. Os dados do BC também mostram que julho de 2008 completou quatro meses seguidos de saídas no fluxo financeiro. No acumulado do período, US$ 15,186 bilhões deixaram o País por essa conta. Na conta comercial, julho de 2008 registrou ingresso líquido de US$ 2,637 bilhões, gerado por exportações de US$ 17,090 bilhões e importações de US$ 14,453 bilhões. Em junho, o fluxo comercial teve entrada líquida de US$ 4,7 bilhões e, em julho de 2007, ingresso de US$ 5,494 bilhões. No acumulado dos sete primeiros meses do ano, o fluxo cambial permanece positivo, em US$ 12,440 bilhões, resultado de entradas líquidas da ordem de US$ 32,187 bilhões da conta comercial e saídas líquidas de US$ 19,747 bilhões no setor financeiro. De janeiro a julho de 2007, o fluxo cambial era positivo estava em US$ 63,215 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
Banco CentralCâmbioDólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.