Fluxo de veículos em outubro aponta desaceleração econômica

O número de veículos que passaram pelas praças de pedágios em outubro caiu 1,9% na comparação com setembro, segundo o Índice ABCR de Atividade, calculado pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias e pela Tendências Consultoria Integrada. Esta é a primeira queda registrada por este indicador depois de oito meses consecutivos de crescimento. Pode ser também um dos primeiros sinais de refluxo do crescimento da economia brasileira. A circulação de veículos pesados, que está relacionada à produção industrial, caiu em outubro 2,3% no confronto com setembro. Esta é a segunda queda no ano do número de veículos pesados em circulação pelas estradas pedagiadas do País, segundo a ABCR. No geral, segundo o economista Juan Jensen, da Tendências, a queda no fluxo pedagiado revela que o ritmo de crescimento econômico do País diminuiu. Mas ele não vê a retração como uma má notícia. "Depois de oito meses de alta, é natural que a atividade econômica sofra uma acomodação". Jensen acrescenta que a queda é também um indicador de que diminuem-se os riscos de o País ter crescimento desenfreado, onde o aumento da demanda acaba gerando impacto nos preços do setor produtivo. Comparação com ano anterior Nos confrontos com o mesmo mês do ano passado, quando as bases de comparações eram mais baixas, todas as categorias de veículos mostram crescimento no número de passagens pelas praças de pedágios. O índice geral cresceu 4,4%, passando a acumular no período de 12 meses uma expansão de 4,1%. O fluxo de veículos leves, que em outubro sofreu uma queda de 1,4% em relação a setembro, cresceu 6,3% sobre outubro do ano passado. Os pesados, na mesma comparação, ainda guardam um crescimento de 0,5%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.