Fluxo em rodovia com pedágio sobe 0,4% em maio

O fluxo de veículos pelas estradas com pedágios do País cresceu 0,4% em maio comparativamente a abril na série com ajustes sazonais, informaram hoje a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e a Tendências Consultoria Integrada. Em abril, a circulação nas estradas já havia crescido 1,7% em relação a março. O movimento dos veículos pesados cresceu 2,7% em relação a abril e os de veículos leves aumentou 0,6% em maio ante o mês anterior.

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, Agencia Estado

10 de junho de 2009 | 12h19

O aumento do tráfego dos veículos pesados em maio, em 2,7%, confirma a retomada mais assertiva da atividade industrial, avalia a economista da Tendências Consultoria Integrada Ariadne Vitoriano, que calcula o Índice ABCR. Isso ocorre porque a movimentação de veículos pesados está diretamente associada ao transporte de cargas de matérias-primas e produtos acabados.

Além disso, segundo a economista, a alta de 2,6% na produção de veículos registrada no mesmo período pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) pode estar associada à melhora do fluxo dos pesados, além de ser um bom indicador antecedente para a indústria. "Apesar dessa retomada, o fluxo de veículos pesados caiu 2,9% na comparação de maio deste ano contra maio de 2008", afirma Ariadne, para quem a base de comparação ainda é muito alta.

Já o fluxo de veículos leves apresentou alta de 0,6% em relação a abril, em termos dessazonalizados. "Esse comportamento se deve, possivelmente, ao crescimento expressivo da renda observado até março", comenta a economista. Em relação aos índices de renda e emprego, que estão em queda, Ariadne explica que "a renda está caindo em baixa velocidade e o emprego responde com defasagem à recuperação da atividade, por isso, o reflexo só deverá ser observado nos próximos meses."

Tudo o que sabemos sobre:
veículosABCR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.