Flybondi/ Divulgação
Flybondi/ Divulgação

coluna

Thiago de Aragão: investidor estrangeiro vê como irreal promessa de Guedes de 4 privatizações em 90 dias

Flybondi, aérea de baixo custo, terá voos entre Buenos Aires e Florianópolis

Capital catarinense será segundo destino da companhia argentina no Brasil; em outubro, empresa começa a voar para o Rio de Janeiro

Luciana Dyniewicz, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2019 | 12h53

A companhia aérea argentina de baixo custo Flybondi começará a voar entre Florianópolis e Buenos Aires em 20 de dezembro. A empresa ainda não divulgou os preços mínimos das  passagens, que começarão a ser vendidas na noite desta quarta-feira, 31.

Em entrevista recente ao Estado, o presidente da Flybondi, Sebastián Pereira, disse que a intenção era ter valores, em média, 20% inferiores aos das companhias tradicionais.

A rota entre Buenos Aires e Florianópolis terá três frequências semanais -- às segundas, quartas e sextas-feiras -- e será mantida apenas durante o verão. Na capital argentina, o voo sairá do aeroporto El Palomar. A Flybondi é a única empresa a operar no terminal, que fica a 20 quilômetros do centro de Buenos Aires, mas está a 300 metros de uma estação de trem.

Florianópolis é o segundo destino da Flybondi no Brasil. Em outubro, a companhia aérea começa a operar no Rio de Janeiro, também com três voos semanais -- as passagens já estão sendo vendidas. Além de voos internos na Argentina, a empresa ainda tem rotas, a partir de Buenos Aires, para o Paraguai e o Uruguai.

A Flybondi foi criada em janeiro de 2018, poucos meses antes de a crise cambial atingir a Argentina, provocando uma recessão econômica. Planos de diversificar a operação já eram previstos pela empresa, mas se tornaram mais importantes diante desse cenário. Segundo Pereira, a companhia ainda estuda a possibilidade de voar para São Paulo e Porto Alegre.

Além da Flybondi, outras duas empresas internacionais de baixo custo começaram a atuar no Brasil -- a norueguesa Norwegian e a chilena Sky.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.