FMI: Argentina precisa corrigir dado oficial de inflação

A Argentina precisa eliminar as discrepâncias entre seu índice oficial de preços ao consumidor e a inflação de fato, disse o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn um dia antes de seu planejado encontro com a presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner. Strauss-Kahn disse ainda que a Argentina precisa resolver seu default de seis anos com o Clube de Paris, de credores oficiais, num montante estimado em US$ 6,3 bilhões. Contrariando informes da imprensa argentina de que ele assumiria um papel de mediador, Strauss-Kahn disse que o ideal seria se as partes chegassem a uma solução sem o envolvimento do FMI. Mas, se o Clube de Paris e o governo argentino chegarem a uma solução que exija alguma participação do FMI, a instituição "será tão útil quanto possível", acrescentou. "Temos que encontrar uma solução porque a existência desta dívida externa (com o Clube de Paris) torna impossível para a Argentina se beneficiar de todos os tipos de créditos à exportação, o que, por sua vez, é absolutamente necessário para o investimento estrangeiro, e este país precisa de imensos investimentos e é capaz de absorver imensos investimentos". As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.