FMI cobra dos bancos mais crédito e juros menores

O presidente da Febraban, Gabriel Jorge Ferreira, disse hoje que, na reunião com banqueiros em São Paulo, a vice-diretora-gerente do FMI, Anne Krueger, questionou sobre o que seria necessário para aumento na oferta de crédito e redução dos juros bancários. Ferreira disse que a aprovação da Lei de Falências e o estímulo à microfinanças e ao débito em folha de pagamento estão contribuindo para a queda do custo bancário. Com isso, segundo ele, os juros nos empréstimo já estão caindo.Ferreira disse que os bancos estão preocupados com a persistência da elevada tributação - citou o aumento da alíquota do PIS de 3% para 4% - e dos altos depósitos compulsórios. Segundo ele, também há uma série de restrições ao uso de informações cadastrais dos clientes. Os representantes dos bancos fizeram uma previsão de crescimento da economia de 3,5% a 4% para 2004. Segundo Ferreira, a vice-diretora-gerente do FMI concordou e avaliou que o panorama da economia mundial indica um cenário positivo, o que trará efeitos benéficos para o Brasil. Segundo ele, Anne Krueger disse que a economia norte-americana está surpreendendo positivamente e Japão e Europa estão revendo para cima a previsão de evolução do PIB para o ano que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.